Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Vaquinha na soja – como identificar e controlar

Vaquinha na soja: Saiba como identificá-la na lavoura e conheça as formas de controle.

A vaquinha da soja é uma praga que causa muita dor de cabeça ao produtor rural. 

Existem muitas espécies que atacam as plantações, porém, a mais comum em soja é a Vaquinha Verde.  

De nome científico Diabrótica speciosa, também chamada de vaquinha patriota, ela é uma das principais pragas da soja, pois causa danos significativos às plantas, dessa forma causando grande perda de produtividade e lucratividade.  

Como identificá-la? 

Os adultos botam ovos, geralmente em solos escuros e úmidos ao redor das plantas. Esses ovos são de cor amarela, e vão dar origem às larvas. 

As larvas por outro lado, são de cor branca e medem cerca de 10 mm. A maioria delas fica ao redor de plantas, o que facilita sua identificação. 

Elas atacam as raízes da soja, assim, interferindo na absorção de água e nutrientes, e reduzindo a sustentação das plantas, podendo causar a morte de plântulas, e diminuição no estande

Depois, as larvas se tornam pupas, e em seguida, adultos.  

Os adultos são besouros de corpo verde com manchas amarelas e cabeça avermelhada, que medem cerca de 6mm de comprimento. 

Eles atacam as folhas da soja, abrindo pequenos orifícios e causando desfolha, diminuindo assim a atividade fotossintética, afetando diretamente a produtividade da planta. 

Como realizar seu controle? 

Acima de tudo, o fator mais importante para realizar o controle dessa praga é realizar seu monitoramento. 

Portanto, realizar o monitoramento correto é mais fácil de decidir o método a ser empregado para controlar a vaquinha. 

Para isso, o uso de softwares de gestão auxilia o produtor na tomada de decisões. 

Com o software do Plantae Gestão Agrícola, o monitoramento de pragas em todos os talhões de sua lavoura fica muito mais fácil.  

Nele você poderá monitorar todos seus talhões, adicionando fotos e datas em pontos no mapa onde foram encontradas as vaquinhas, podendo acessar no próximo ano, para comparar e tomar a decisão correta na hora do controle. 

Controle cultural (Antes do plantio) 

Principalmente em áreas de plantio direto, e em áreas onde ocorre a sucessão de culturas (soja – milho), é muito provável que haja uma infestação de vaquinha.  

O controle cultural pode ser realizado de algumas formas: 

  • Destruição de restos culturais 

Eliminar possíveis plantas hospedeiras contribui para evitar o aparecimento de vaquinha na área. 

  • Preparo do solo 

Um bom preparo do solo pode destruir ovos ou larvas que estejam presente na área. O plantio direto favorece a permanência desses insetos no solo.  

Controle biológico 

O controle biológico, em suma, vem sendo empregado cada vez mais no cultivo das principais culturas agrícolas. 

Segundo estudos, os agentes de controle biológico mais eficientes são:

  • Inimigos naturais: Celatoria bosqi, Centistes gasseni;  
  • Fungos: Beauveria bassiana e Metarhizium anisopliae. 

Os inimigos naturais, como o nome já diz, são insetos não praga que se alimentam dos insetos praga.  

Os fungos são formas de vida que, nesse caso, infectam e causam doenças nos insetos praga, fazendo seu controle na lavoura.  

Controle químico 

Por fim, o controle químico é o método mais utilizado para neutralizar a infestação de vaquinha na cultura da soja. 

Ele pode ser realizado de duas formas: 

  • Aplicações direto no sulco;  
  • Uso de granulados; 

Frequentemente o tratamento de sementes com fipronil tem bons resultados. 

Algumas vezes, é eficiente realizar controle feito apenas nas reboleiras onde ocorrem o ataque, porém, tudo depende da situação do ataque em sua lavoura.  

Portanto, o mais eficiente é consultar um engenheiro agrônomo de sua confiança. Ele lhe auxiliará na tomada de decisão. 

Conclusão 

Os danos causados pela vaquinha da soja são importantes ao final da safra, pois causam perdas que refletem na lucratividade do produtor rural.  

Nesta matéria vimos como identificar e controlar essa praga, que é tão presente em nossas lavouras. 

Em conclusão, esperamos que esse texto lhe ajude na sua tomada de decisão, e lhe auxilie na hora do monitoramento dessa praga.  

Gostou dessa matéria? Deixe seu comentário! 

Leia também nosso post sobre como um Software de Gestão Agrícola ajudou uma consultoria a ter mais lucros! 

2 Comments

  1. Fernanda Lima 8 de maio de 2021

    Aqui é a Fernanda Lima , gostei muito do seu artigo tem
    muito conteúdo de valor parabéns nota 10 gostei muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *