Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Tendências climáticas 2020 e sua influência no agronegócio

Após o anúncio de probabilidade recorde da safra soja comparada a de 18/19, as atenções agora se voltam para o clima. Em alguns estados a colheita da soja safra 19/20 se inicia nos primeiros dias desse mês de janeiro, assim, o planejamento para retirada do grão do campo e plantio do milho safrinha está a todo vapor.

Segundo estudos do NOAA (Centro Americano de Meteorologia e Oceanografia), no primeiro trimestre de 2020 se firmará uma neutralidade climática, a mesma que estamos vivendo desde agosto de 2019,  sem predominância de El Niño ou La Niña, diferente do ano de 2018, que teve influência do fenômeno El Niño, que fez com que o centro do país sofresse com tempo seco e poucas chuvas, já o sul sofreu grandes precipitações.

Entendendo os fenômenos

El Niño: É a fase quente do fenômeno Enos, uma anomalia climática, e consiste no aquecimento das águas do oceano Pacífico Equatorial. Esse fenômeno tem vários efeitos no mundo todo, e no Brasil faz com que ocorram diversas reações. No sul do país ocorrem mais chuvas, no sudeste e parte do centro oeste ocorre tempo mais quente, e no nordeste o tempo fica mais seco.

La Niña: É o fenômeno oposto ao El Niño, ocorre quando acontece o resfriamento das águas do Oceano Pacífico Equatorial, trazendo resultados diferentes do seu irmão. No Brasil acontecem basicamente mais chuvas no Norte e Nordeste e seca no Sul durante meses da primavera. Historicamente, segundo o CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), o fenômeno El Niño tem mais frequência que o La Niña, sendo que seus efeitos são de intensidade moderada a forte, enquanto o La Niña acontece menos vezes e com intensidade de fraca a moderada.

Onde isso afeta o agronegócio?

Sem nenhum fenômeno atuando sobre o país, tendo a neutralidade climática pelo menos até março, as precipitações se normalizam, atingindo a média esperada na maioria das regiões do Brasil.

Essa condição climática é favorável para o setor agro, pois a safra soja que está na fase final de enchimento dos grãos, necessita de um clima favorável, com altas temperaturas e precipitações dentro do esperado, tendo em vista que esse estágio é criterioso e determinante para atingir boas produtividades.

Apesar do atraso no plantio da soja por conta da falta de precipitações no início do período da semeadura, há esperança de que o plantio de milho safrinha, que acontece após a colheita da soja, ainda possa ser feito na janela correta na maioria do país, aproveitando a neutralização do clima, favorecendo seu desenvolvimento inicial. Sendo assim, esse trimestre está rodeado de boas expectativas.

Fontes: CPTEC e NOAA


Seja o/a primeiro/a a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *